Notícias

Menina que estudava em uma barraca ganha internet para assistir aulas em casa


Brasil Net

Isabel Cravicz, de 10 anos, emprestava a internet de vizinhos para poder acompanhar as aulas online oferecidas pelo estado

Foto: Reprodução RPC
Na casa dela não pegava sinal de internet

Depois de alguns meses sem internet em casa e precisando da ajuda de vizinhos para acompanhar as aulas online oferecidas pelo estado, a estudante Isabel Cravicz, que é de Roncador, no norte do Paraná, finalmente vai conseguir estudar em casa.

Uma empresa instalou a rede no imóvel da família e ainda presentou com um ano de acesso à internet de graça.

“Fiquei muito feliz. Vou poder estudar no conforto da minha casa, vai ser muito melhor. Antes as professoras sempre me elogiaram, agora quero ser uma estudante melhor ainda”, contou a menina, que se tornou um exemplo de superação e dedicação.

A menina Isabel tem 10 anos e está no 5º ano do Ensino Fundamental. Antes da instalação, ela ia todos os dias até o sítio do vizinho de casa para poder ter acesso à internet e conseguir estudar. Na casa dela, que fica na área rural, não pegava o sinal e, por isso, não tinha como ela se conectar.

Mesmo com o problema, ela e os pais conversaram com vizinhos e um casal de idosos emprestou o sinal para a menina poder estudar.

Como os vizinhos fazem parte do grupo de risco para Covid-19, os pais montaram uma barraca em uma parte do terreno da casa onde ela e a mãe passavam parte do dia.

A história foi contada pela RPC no dia 12 de junho. Uma professora de Isabel recebeu uma foto dela estudando no local improvisado e decidiu ajudar.

No sábado (27), a aluna que atravessava porteiras e pastos de propriedades rurais, acessou pela primeira vez a internet da própria casa.

“Gosto das videoaulas, são muito boas, mas fico triste porque não consigo falar com os meus colegas. Agora com a internet, vou poder conversar de longe com os meus amigos”, disse.

A estudante nem imaginava que ao mandar uma foto para a professora poderia mudar tanto a vida dela.

“Eu mandei a foto para a minha professora para ela ver que eu estava estudando, não que isso tudo aconteceria”, contou.

CN INSTITUCIONAL


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com informações do G1
Novidades Faccrei