Notícias

Tio é preso acusado de suposto estupro contra a própria sobrinha em Cornélio Procópio


Brasil Net

O fato teria corrido em uma residência do Jardim Figueira na madrugada da quarta feira (15)

Foto: Ilustrativa
Por segurança, o acusado esta preso na cadeia de Ibaiti

Uma menina de treze anos foi vítima de um suposto estupro praticado pelo o próprio tio, no Jardim Figueira, em Cornélio Procópio, na madrugada da última quarta feira (15), por volta das 2h30, mas o caso só ganhou notoriedade no final de semana após ser divulgado nas redes sociais.

Conforme apurado, o tio da criança, de acordo com informações, na oportunidade morando na casa da vítima, havia chegado tarde da noite na residência e encontrou a menina na sala assistindo televisão.

Foi então que ele começou a assediar a menina, primeiramente oferecendo o celular para que a menina jogasse os games.  Em seguida mostrou seu órgão genital e se esfregou na criança segurando-a pelo braço, tentando retirar suas vestes, beijando-a na boca e forçando a relação sexual.

Ele ainda teria ameaçado a criança, dizendo que se ela contasse algo, ele iria inverter a história e jogaria a culpa na vítima, segundo informações.

A vó da criança e seu irmão mais velho, que estavam dormindo no momento da ação do meliante, acordaram com o choro da menina por volta das 6h da manhã e questionaram o porquê de seu nervosismo, foi quando ela relatou o crime praticado pelo tio.

A partir daí, a Polícia Militar foi acionada e o indivíduo foi preso em flagrante, sendo autuado por estupro de vulnerável na 11º Sub Divisão Policial, seguindo o caso como segredo de Justiça por envolver um menor de idade.

Ainda de acordo com informações, como a Cadeia Pública de Cornélio Procópio não possui cela especial para acusados de estupro (seguro), o preso, que não teve o nome revelado, foi transferido para a cadeia de Ibaiti, onde está à disposição da Justiça.   

Estupro de vulnerável é um tipo penal criado com a lei 12015 de agosto de 2009, que substituiu o velho artigo 224 do Código Penal, que por sua vez tratava da presunção de violência. Com o novo crime, a presunção de violência passa a ser, em tese, absoluta, e não mais relativa.

 


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com texto e reportagem de Odair Matias
Novidades Faccrei