Notícias

Instalações de painéis de energia solar triplicam no Paraná em 2019


Brasil Net

Segundo COPEL, foram registrados mais de 7,7 mil novos sistemas fotovoltaicos em todo o estado entre janeiro e outubro

Foto: Reprodução/RPC
Aumentou o número de placas solares instaladas no Paraná

As instalações de painéis de energia solar no Paraná triplicaram em 2019, de acordo com a Companhia Paranaense de Energia (COPEL).

De acordo com a companhia, foram instalados sistemas fotovoltaicos em mais de 7,7 mil unidades consumidoras de todo o estado entre janeiro e outubro de 2019. Ao longo de todo o ano de 2018, foram cerca de 2,6 mil instalações.

Segundo os consumidores que resolveram aderir à essa fonte de energia, as principais vantagens são o baixo impacto ambiental com uma fonte limpa e renovável e a redução nos custos com energia.

Wagner Andolfato Souza trocou todo o sistema elétrico da casa onde mora para instalar os painéis de energia solar. Nos primeiros meses de uso, ele notou que a conta de luz caiu de R$ 400 para R$ 100 mensais.

"Com essa diferença, estamos aumentando o conforto em casa. Comprei um ar condicionado, uma secadora e agora vamos comprar um fogão por indução", afirmou.

Segundo ele, o investimento de R$ 16 mil para a instalação do sistema vai se pagar em quatro anos.

"Tendo em vista que o equipamento dura pelo menos 30 anos, vale a pena", disse Wagner.

Reinaldo Rocha é proprietário de uma fábrica de móveis que instalou placas para captação de luz solar e geração de energia. Segundo ele, a conta de luz da empresa era de R$ 5 mil por mês

Após a instalação das placas em um dos barracões, a conta caiu para R$ 800 por mês. "De imediato você deixa de pagar a energia e passa a pagar o seu investimento", afirmou Rocha.

De acordo com a COPEL, há um total de 11 mil unidades no estado gerando energia de fonte solar.

No Paraná, estas unidades funcionam como microgeradores de energia. Segundo a COPEL, uma casa que tem os painéis solares, por exemplo, envia a energia gerada para uma central da companhia, que redistribui a energia para a rede.

O consumidor que gerou aquela energia, então, recebe créditos proporcionais à energia gerada que são abatidos da conta de luz.

Para que um consumidor instale um sistema em casa, é preciso apresentar um projeto e ter a liberação da COPEL.

Segundo o superintendente de Novos Negócios da COPEL, Júlio Omori, a produção de energia fotovoltaica está ligada à luminosidade, então há geração mesmo em dias nublados.

"Os países que têm maior produção de microgeração e geração distribuída no mundo são Japão e Alemanha, que têm níveis de radiação solas inferiores a Curitiba, por exemplo", afrimou Omori.

Segundo o superintendente, a temperatura amena na cidade ajuda o sistema a ter maior eficiência energética.

 


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com informações do G1/PR
Novidades Faccrei

Lady Bagunça