Notícias

'Muito além da beleza, é preciso ser engajada em causas sociais', diz vencedora do Miss Supranacional Brasil


Brasil Net

Representante do Paraná, Giovanna Reis será a candidata brasileira a disputar etapa mundial na Polônia

Foto: Ricardo Siviero/Divulgação
Proteção das águas e conscientização sobre a hanseníase são pautas que ela levará para a disputa

"Eles buscam muito mais o conhecimento, da miss, da mulher, mais do que a beleza. Além de ser bonita, ela precisa ser competente, estar engajada com causas sociais", é como a campeã do Miss Supranacional Brasil, Giovanna Reis, de 21 anos, descreve o concurso.

Natural de Atibaia (SP), ela mora em Cascavel, no oeste do Paraná, há vários anos e representou o estado na disputa. Giovanna é modelo e estudante de design de interiores, e diz ser "paranaense de coração".

Para ela, representar o Paraná e o Brasil na etapa internacional, em julho, na Polônia, é motivo de orgulho.

Após racismo, misses negras usam visibilidade para conscientizar: 'Ter mais voz e ampliar o debate'

"As pessoas aqui são muito receptivas, muito fortes, muita garra. O Paraná é muito lindo, tem até uma das sete maravilhas do mundo. Sou paranaense de coração, eu amo o estado e fico extremamente feliz em poder representar ele, que faz parte da minha história, da minha trajetória até aqui."

O carinho pela região, bem como o cuidado com a água - em especial das nascentes de rios -, contribuíram para que ela fosse escolhida a campeã nacional. A etapa brasileira foi realizada em 6 de maio, em Balneário Camboriú (SC).

Giovanna é embaixadora da ONG Amigos dos Rios, projeto social com sede em Cascavel e que trabalha com a preservação e conservação de fontes de água da região. 

A organização representada pela miss faz ações de mapeamento das nascentes, plantio de árvores e campanhas de preservação, entre outras.

Giovanna conta que, além de defender a proteção das águas, agora, como Miss Supranacional Brasil, também tem a missão de promover a discussão sobre a hanseníase.

93% dos novos casos de Hanseníase diagnosticados nas Américas são do Brasil, aponta Ministério da Saúde

"Eu tenho a minha própria causa social e também o concurso defende a causa social da hanseníase [...] Umas das ações foi a compra de um equipamento para a detecção da hanseníase nas pessoas. O Brasil é um dos países que mais estão tendo casos. É uma doença dificilmente diagnosticada, então é necessário que a gente tenha o material para que consiga fazer o diagnóstico dessa doença pra população, em especial a mais carente," explica.

As causas sociais que envolvem o concurso mostram a importância destes eventos para a sociedade, segundo Giovanna.

"As pessoas tem uma ideia de que concurso de beleza é algo muito fútil, muito relativo, que as meninas só vão lá, só posam. Mas, na verdade ele vai muito além. Tem uma mensagem muito forte, ele causa um impacto social muito grande".

O Concurso Miss Supranacional é um dos cinco principais concursos de beleza do mundo, ao lado do Miss Universo (EUA), Miss Mundo (Londres), Miss Grand International (Japão) e do Miss Internacional (Tailândia).

O Miss Supranational é o único dos cinco principais eventos de beleza que nunca teve uma brasileira finalista. Desde que foi criado, em 2009, o melhor resultado do Brasil foram os sextos lugares obtidos por Karine Osório, em 2009, e Bárbara Reis, em 2018.

A representante do Paraná superou outras 26 candidatas brasileiras e agora se prepara para embarcar rumo à Polônia. Lá, ela representará o país na etapa mundial, disputando com 44 representantes de outros países a etapa marcada para 16 de julho.

"Expectativas muito positivas. Estou muito feliz. Eu quero levar a força, a garra dos brasileiros para lá e mostrar que somos um povo muito forte", comenta Giovanna.

CN INSTITUCIONAL


Fonte: Redação CN Notícias, com informações do G1 Paraná
FACCREI - VESTIBULAR DE VERÃO 2022