Notícias

Primeiro carro elétrico 100% brasileiro será paranaense


Brasil Net

A Kers, microempresa de serviços de engenharia tem planos para instalar a sua fábrica EM Maringá para produzir o Wee

Foto: Divulgação
O Wee promete ser o elétrico mais barato do Brasil, com valor em torno de R$ 95 mil

A Kers, microempresa de serviços de engenharia que nasceu como um Centro de Tecnologia Automotiva, com apoio da UNIOESTE, tem planos para instalar a sua fábrica no parque industrial de Maringá no ano que vem para produzir o Wee. 

A marca aposta também no conceito de energia circular, com modelo de negócios que prevê remanufatura e reciclagem do veículo e seus componentes. A Kers lançará ainda em janeiro de 2022 o seu primeiro carro elétrico: o Wee.

O modelo com design compacto promete ser o mais barato do mercado, com preço em torno de R$ 95 mil. Com três rodas e apenas dois lugares, o veículo é pensado para uso exclusivamente urbano e não tem intenção de competir com modelos de grandes montadoras.

 O carro será produzido em aço estampado, contará com sistema de direção semiautônoma e bateria com autonomia de até 200 km, com uma carga de 8 horas.

O veículo pode atingir até 100 km/h e com redução de até 80% com os gastos de abastecimento e manutenção, segundo o fabricante.

Por ser elétrico, isso geralmente é muito baixo. No caso do Paraná, o custo para rodar 400 km ficaria na casa dos R$ 32,00.

O Wee promete ser o elétrico mais barato do Brasil, com valor em torno de R$ 95 mil.

Atualmente, o EV mais em conta do país é o da JAC Motors, o E-JS1, que custa quase R$ 160 mil, com autonomia de 300 km.

As vendas do veículo serão feitas pela internet, mas a marca afirma que os clientes contarão com suporte de assistência autorizada em todo o país.

O Kers Wee é compacto e tem apenas três rodas. Essa decisão foi feita para usar menos recursos e reduzir a manutenção. O interior leva apenas dois ocupantes e atrás dos bancos existe um espaço para bagagem.

As baterias ficam na dianteira, sob o capô. A autonomia é de 200 km, mas está nos planos uma versão com um segundo conjunto de baterias sob os bancos que dobra esse número.

A transmissão final é feita para a única roda traseira através de uma correia, sistema similar ao visto em motos como as Harley-Davidson. O Kers Wee em si não emite poluentes, porém ele polui de forma indireta devido ao processo de produção de energia elétrica.

Isso também foi pensado po6la Kerz, árvores serão plantadas na reserva ambiental das nascentes do rio Açungui para neutralizar o carbono. Também foi feito um plano de reciclagem do carro para quando chegar o final de seu ciclo de vida.

CN INSTITUCIONAL


Fonte: Redação CN Notícias, com informações do Portal Bem Paraná