Notícias

Diversos animais marinhos são encontrados mortos ou feridos no litoral do Paraná


Brasil Net

Os motivos do aumento da quantidade e das mortes estão sendo investigados

Foto: Divulgação/LEC
Entre os animais estão tartarugas e pinguins

O Laboratório de Ecologia e Conservação de Mamíferos e Répteis Marinhos (LEC), do Centro de Estudos do Mar da Universidade Federal do Paraná (UFPR), registrou diversos animais marinhos encontrados mortos ou feridos, nos últimos dias, nas praias do litoral paranaense. Entre os animais, estão tartarugas e pinguins.

De acordo com a coordenadora do LEC, Camila Domit, os motivos do aumento da quantidade e das mortes estão sendo investigados, mas acredita-se que o vento dos últimos dias esteja levando o corpo dos animais já sem vida para a areia.

“A gente está com um número bem grande demais sendo registrados. Aves, mamíferos, tartarugas marinhas, todas as espécies. Esses registros provavelmente têm reflexo dos últimos dias de vento que tivemos no litoral do Paraná. Um número maior de animais chegou até as praias, o que não significa que morreram mais animais. Análises ainda vão ser feitas pela UFPR, temos que compilar o número de animais, códigos de decomposição, quem são as espécies, pra gente entender o que aconteceu nesses últimos dias”, afirma a bióloga.

Desde maio, o LEC tem investigado, em conjunto com outros laboratórios, a ocorrência frequente de encalhes de baleias jubarte. Só no Paraná foram 13 animais dessa espécie encontrados mortos no período. Em todo o Brasil, são 140 baleias que encalharam.

“Nós estamos trabalhando em conjunto com a Rede de Encalhe e Informação de Mamíferos Aquáticos do Brasil (Remab) e outros pesquisadores de fora do país, pois o encalhe desses animais não ocorre somente no Brasil. Pesquisadores do Uruguai e da Argentina também estão avaliando essa situação, também tivemos registro do encalhe de baleias jubarte, e uma análise em conjunto com pesquisadores que atual na região antártica. É um trabalho longo, de entendimento se esse é um ano atípico e se é um processo que começou e vai refletir também nos próximos anos”, completa Camila Domit.

A coordenadora do LEC lembra que, ao abordarem os profissionais do laboratório, as pessoas mantenham os cuidados em relação à prevenção da Covid-19, que, segundo ela, não têm sido observados no litoral.

“Importante avisar a todos que vieram para as praias durante o feriado que mantenham o distanciamento necessário, se protejam e também protejam as pessoas que estão trabalhando na praia. Ontem tivemos várias pessoas abordando nossa equipe de uma maneira que não é cuidadosa contra a covid-19. Temos que lembrar que ainda estamos em processo de pandemia e com uma nova variante em circulação”, finaliza a bióloga.

A orientação para quem encontrar um animal marinho, vivo ou morto, é ligar para o LEC pelo telefone 0800-642-3341. É importante ressaltar que não se deve mexer no animal, além de manter distância.

CN INSTITUCIONAL


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com informações do Paraná Portal