Notícias

Governo permite volta às aulas nas escolas particulares


Brasil Net

As aulas presenciais podem voltar independentemente da quantidade de alunos em sala. Anteriormente, o limite era de 30%, mas como cada escola conta com um espaço

Foto: Ilustrativa
Devem ser mantidas as estratégias para organização do fluxo de entrada, saída e distância mínima

A Secretaria de Estado da Saúde (SESA) publicou três novas resoluções sobre cirurgias eletivas, aulas presenciais e funcionamento de igrejas e templos religiosos.

As cirurgias eletivas estão autorizadas novamente, desde que não demandem internação em UTI no pós-operatório.

As aulas presenciais podem voltar independentemente da quantidade de alunos em sala. Anteriormente, o limite era de 30%, mas como cada escola conta com um espaço, a SESA deixa a cargo de cada escola a quantidade de alunos em sala. Devem ser mantidas as estratégias para organização do fluxo de entrada e saída e distância mínima de um metro e meio entre as pessoas.

As aulas nas escolas particulares foram autorizadas no dia 5, mas as aulas das escolas públicas estaduais seguiram de maneira remota.

A Secretaria de Estado da Saúde também aumentou a capacidade de público presencial em igrejas e templos religiosos de 25% para 35%. A medida consta na Resolução 440/2021, publicada na sexta-feira (30).

Os espaços destinados à celebração de cultos religiosos devem respeitar o distanciamento de 1,5 metros entre as pessoas, uso de álcool gel e recomendar aos frequentadores as medidas preventivas de higienização das mãos e uso de máscaras.

Além disso, os elementos de ritos religiosos, como hóstias, por exemplo, devem ser entregues na mão do fiel – e não na boca.

É indicado que bancos e cadeiras sejam de uso individualizado, em quantidade compatível com o número máximo de participantes autorizados para o local. Em lugares que os bancos são coletivos, os mesmos devem ser reorganizados e demarcados de forma a garantir que as pessoas se acomodem nos locais indicados e mantenham o afastamento mínimo umas das outras.

Deve ser realizado o controle do fluxo de entrada e saída de pessoas nas igrejas e templos, e na hipótese de formação de filas, deve haver demarcação para manter o distanciamento mínimo entre os participantes.

O documento mantém a orientação para que os líderes religiosos priorizem as cerimônias virtuais. Além disso, o documento recomenda que idosos com mais de 60 anos e pessoas do grupo de risco, como hipertensos, diabéticos, gestantes, entre outros, permaneçam em casa e acompanhem as celebrações por meios de comunicação como rádio, televisão e internet.

CN INSTITUCIONAL


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com informações da Agência Estadual de Notícias
HANGAR 14