Notícias

“Não haverá lockdown”, garante vice-prefeita de Cornélio Procópio, Angélica Olchaneski


Brasil Net

A informação foi dada com exclusividade pela vice-prefeita e secretária da Saúde ao jornalista Bruno Magalhães, no programa RC News da Rádio Cornélio FM

Foto: Reprodução/RC NEWS FM 98.1
Angélica Olchaneski no programa ao vivo RC News da RC FM 98.1 do jornalista Bruno Magalhães

“Não haverá lockdown”, garantiu à vice-prefeita de Cornélio Procópio, Angélica Olchaneski ao jornalista Bruno Magalhães, no programa RC News da Rádio Cornélio FM, no final da tarde de segunda-feira (22).

Devido ao grande aumento dos casos de Covid-19 e duas mortes seguidas durante o final de semana na cidade, na manhã de segunda-feira (22), a Secretaria de Saúde, comandada pela vice-prefeita, se reuniu com membros da Secretaria de Indústria e Comércio, Associação Comercial e Empresarial (ACECP), Vigilância Sanitária e demais interessados para tratar sobre o avanço do novo coronavírus na cidade.

De acordo com dados da SMS, em um pouco a mais de 24 horas dois óbitos foram registrados e agora somam 48 no total.

Até o dia 31 de dezembro, Cornélio Procópio somava 30 mortes e de janeiro para cá foram mais 18.

A cidade possui atualmente um quadro alarmante de 349 infectados, cerca de 80 atestados somente na segunda-feira, disse a vice-prefeita, com nove internados, estando quatro em UTIs.

Mais 171 casos estão sob investigação, com 1.015 pessoas que tiveram contato com os infectados estão sendo monitorados e estes números podem aumentar no decorrer dos dias da semana.

Segundo Angélica Olchaneski, que falou com exclusividade e ao vivo como jornalista Bruno Magalhães, a situação está complicada, hospitais e unidades de saúde estão sobrecarregadas, principalmente a Unidade de Pronto Atendimento Respiratório da Vila Santa Terezinha, onde os funcionários, que estão trabalhando para melhor atender desde o início da pandemia, vem sendo hostilizados por pessoas que não estão a par da grave situação.

Não existem mais leitos disponíveis em Cornélio Procópio, inclusive nos hospitais particulares e os casos graves estão sendo transferidos na medida do possível para um uma unidade médica de referência na cidade de Apucarana, quando vagas são abertas e dependendo de critérios estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde, não havendo como fugir das normas, esclareceu a vice-prefeita.

A vice-prefeita informou que grande parte dos casos atuais são de pessoas que foram viajar e voltaram trazendo o vírus, mais grave ainda, são os números que indicam que a maioria das vítimas fatais, que foram os idosos, estes não saíram de casa, mas a doença foi levada até eles, o que lamentável, sem contar as aglomerações e as pessoas que andam sem máscaras se concentrando em locais não permitidos, como o “Alto do Cristo”, bares e festas particulares.

Apesar da falta de respeito e conscientização por parte da população, que deixou de seguir as regras, Angélica Olchaneski informou que um novo lockdown foi descartado no momento, mas medidas mais severas serão editadas para os próximos dias e se não houver responsabilidade, uma ação mais drástica será tomada por parte do poder público, que declarou estado de calamidade pública nó último dia 16, embasado nos avanços da pandemia e pela queda da arrecadação na cidade.  Com isso as finanças públicas e as metas fiscais estabelecidas para 2021 podem ficar comprometidas.

Portanto, o momento é de extremo cuidado e todas as medidas de segurança devem ser seguidas para evitar a contaminação, visando evitar o colapso no sistema de Saúde e prejuízo da economia local, salientou a vice-prefeita.

CN INSTITUCIONAL


Fonte: *Redação Cornélio Notícias
SEMANA 01 Faccrei