Notícias

Paranaense agredida no Chile recebe alta e retorna para casa


Brasil Net

A mãe e irmã da vítima, que também estavam no Chile, voltaram no mesmo voo

Foto: Reprodução/RIC Mais
Chegada da paranaense Maressa Crísley em Maringá

A paranaense Maressa Crísley Nunes dos Santos, de 31 anos, brutalmente agredida por três indivíduos no Chile, chegou ao Brasil na quarta-feira (3). Acompanhada da mãe e da irmã, a moça escondeu os hematomas e não quis conversar com a imprensa.
Ela apenas agradeceu ao apoio que recebeu desde a ocorrência: “Não quero falar, obrigada todo mundo”, disse ela na chegada ao aeroporto.
Maressa Nunes desembarcou no aeroporto de Maringá no período da noite. A a mãe e a irmã que acompanharam a moça no voo do Chile até a volta ao Brasil deram declarações sobre o estado de saúde da vítima.
“Ela está bem, graças a Deus. Tem alguns médicos querendo ajudar, então vamos esperar para entrarem em contato com a gente”, declarou a mãe.
No desembarque de Maressa, os familiares aproveitaram a presença da imprensa para desmentir informações sobre um possível ataque de uma gangue, envolvendo prostituição no Chile.
Conforme a irmã da vítima, o que aconteceu em Santiago foi um assalto com tentativa de estupro.
“O que queremos ressaltar é que teve muita informação distorcida. Não tem gangue, não tivemos nenhuma ameaça, o que houve foi um assalto com tentativa de estupro”, declarou a irmã.
A mãe de Maressa reforçou a versão da filha.
“Estamos abatidas, isso pode comprometer minha filha”, declarou.
Maressa deve continuar o tratamento médico aqui no Brasil.

 


Fonte: Redação Cornélio Notícias, com informações da RIC Mais
CN INSTITUCIONAL