Notícias

Estado pede ajuda, Uruguai oferece, mas governo Lula dispensa


Brasil Net

As autoridades justificam mais equipamentos não seriam necessários

Foto: Ilustrativa
A Defesa alega restrição para pouso em Porto Alegre

O governo Lula (PT), dispensou oferta de ajuda do Uruguai por lanchas, um avião e drones para auxiliar no resgate às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul.
O governador gaúcho, Eduardo Leite (PSDB), havia pedido ajuda no sábado (4), às autoridades do país vizinho por apoio no resgate dos afetados pelas inundações.
A solicitação envolvia o empréstimo de duas lanchas motorizadas, com as suas tripulações, dois drones para busca de pessoas em situação de isolamento, com os respectivos operadores uruguaios, e de um avião de transporte Lockheed KC-130 H Hercules.
A aeronave serviria para levar as lanchas às regiões afetadas e também poderia ser usada para transportar doações humanitárias que estão sendo recolhidas no Uruguai.
O governo do Uruguai deu luz verde para o empréstimo, mas estranhamente houve negativa por parte do governo federal brasileiro, sob o argumento de que os equipamentos não eram necessários no momento.
Em nota, o ministério da Defesa disse que o Comando Militar Conjunto "declinou da oferta da aeronave por restrições de pistas disponíveis para pouso em Porto Alegre".
Segundo o representante do governo gaúcho em Brasília, há outros aeroportos operacionais no Rio Grande do Sul com condições de receber a aeronave uruguaia.
Depois do empasse com o governo Lula, o Uruguai fechou um acordo diretamente com governador do Rio Grande do Sul e vai mandar ajuda.
O Ministério das Relações Exteriores argentino também anunciou a oferta de uma lista de equipamentos e pessoal técnico para ajudar na resposta às inundações.
Foram disponibilizados pela chancelaria e pelas pastas da Segurança e da Defesa uma brigada de 20 militares e cães da Polícia Federal argentina, além de especialistas em logística da equipe de assistência humanitária do Estado, a chamada Comissão de Capacetes Brancos.
Também compõem essa lista um avião para transporte de pessoas ou cargas, três helicópteros para retirada de pessoas de áreas atingidas, uma equipe móvel de saúde, mergulhadores táticos da Marinha local, engenheiros de barco e caixas com pastilhas para purificar água.
O Rio Grande do Sul chegou à marca de mais de 100 mortes em decorrência das fortes chuvas que atingiram a região ao longo da última semana. Ao todo, 1,4 milhões de pessoas foram afetadas pela tragédia da região.
O número de mortos pode aumentar ainda mais nos próximos dias, pois há um total de 131 desaparecidos, além de 362 feridos. Também há 4 óbitos em investigação.
De acordo com a Defesa Civil, há 48.297 desabrigados, instalados em alojamentos cedidos pelo poder público e 156.056 desalojados. Do total de 497 municípios do estado gaúcho, 388 foram afetados pelas fortes chuvas da região.

 

FACCREI - VESTIBULAR


Fonte: Redação Cornélio Notícias, com informações da Folha de São Paulo/G1
CN INSTITUCIONAL