Notícias

Após perseguição e tiros, PMs descobrem que suspeitos também eram policiais


Brasil Net

A equipe informou ainda que tentou abordar a caminhonete diversas vezes, mas teve os pedidos ignorados

Foto: Ilustrativa
Perseguição digna de cinema em rodovia de Arapongas, no Norte do Paraná

Uma perseguição digna de filmes de ação, com direito a alta velocidade e tiros no pneu. Foi isso o que aconteceu na PR-444, em Arapongas, na região Norte do Paraná, na noite de quinta-feira (1º), quando policiais militares desconfiaram de uma caminhonete que passava pela rodovia.
O que eles não sabiam é que os suspeitos também eram PMs.
De acordo com o boletim de ocorrência, dois PMs estavam em um posto de combustíveis finalizando o abastecimento da viatura quando avistaram uma caminhonete modelo S10 forçando uma ultrapassagem com sinais sonoros parecidos com o de um carro oficial.
A dupla então informou o Centro de Operações Policiais Militares (COPOM) e iniciou a perseguição.
“A equipe ligou então os sinais sonoros e luminosos da viatura e iniciou uma tentativa de abordagem, fato frustrado primeiramente pela diferença de potência dos veículos. Visto que a VTR Duster tem menos força do que a referida camionete S10”, diz o boletim.
Os policiais relataram que, em determinado momento, em razão do tráfego de caminhões, foi possível se aproximar da caminhonete e fazer a consulta da placa, que ao ser checada não apareceu no sistema.
“Como se tal placa não existisse ou fosse adulterada”, consta no boletim de ocorrência.
A equipe informou ainda que tentou abordar a caminhonete diversas vezes, mas teve os pedidos ignorados.
“Assim sendo, ficava claro a cada vez que a viatura se aproximava e a camionete acelerava a níveis perigosos, beirando os 200 km por hora, que tal veículo não pararia e continuaria a pôr em risco a vida dos ocupantes da via”, detalha o boletim.
Segundo os PMs, quatro homens com “vestes do dia a dia” estavam no veículo. Quando a caminhonete precisou reduzir novamente, por causa de um caminhão parado na pista, os policiais então decidiram atirar no pneu traseiro para forçar a parada.
“Diante de todo o exposto e da clara possibilidade de sofrer uma emboscada de um veículo com placa irregular, com quatro ocupantes que não paravam sob nenhum sinal e que estavam a quase 200 km por hora colocando em risco a vida de todos os ocupantes da via, o (…) optou por uma última tentativa e efetuou três disparos de arma de fogo em direção ao pneu traseiro direito de tal camionete”, descreve o boletim.
Os tiros foram certeiros e o pneu esvaziou, assim a caminhonete precisou parar. Neste instante, para surpresa dos PMs, os quatro homens desceram dizendo que também eram policiais.
“Momento em que desceram seus ocupantes com as mãos para cima mostrando distintivos da Polícia Militar e gritando que também eram militares estaduais”.
No boletim não consta a informação sobre o motivo que teria feito os policiais da caminhonete não pararem.

 

FACCREI - VESTIBULAR


Fonte: Redação Cornélio Notícias, com informações da Banda B
CN INSTITUCIONAL